Ventura vai ter concorrência pela primeira vez. Quem é o homem que o desafia?

Carlos Natal vai disputar a liderança com o deputado único do partido. Vive em Portimão e é dono de um restaurante chamado Peixarada. Está no Chega desde a fundação e avança para acabar com a desorganização.



André Ventura vai ter, pela primeira vez, adversário na corrida para a liderança do Chega. Chama-se Carlos Natal e é empresário da restauração na cidade de Portimão. A candidatura já foi lançada, com críticas aos “tiques de autoritarismo” dentro do partido.

A actividade principal do militante que vai enfrentar André Ventura é, desde cedo, a restauração. Carlos Natal tem um restaurante chamado Peixarada, em Portimão, e candidatou-se à câmara da cidade nas últimas eleições autárquicas, mas foi forçado a desistir devido a divergências com a distrital. Agora, Carlos Natal avança com uma candidatura à liderança, com duras críticas à direcção do Chega. “É tudo feito de uma forma atabalhoada e com pouca democraticidade”, diz ao NOVO.

O militante do Chega, que vai enfrentar Ventura nas eleições marcadas para dia 6 de Novembro, faz uma radiografia do partido no manifesto de candidatura. Descreve o Chega como um partido “desorganizado” e com “bastantes tiques de autoritarismo”. Ao NOVO, o candidato conta que “há “enormes divisões” e garante que está na corrida para ajudar a organizar um partido recheado de “trapalhadas” e “indefinições”.

“Há alguma coisa escondida”

Carlos Natal é muito activo nas redes sociais e aproveitou nos últimos tempos este espaço para atacar as medidas contra a pandemia, que classifica como “a maior fraude da história da humanidade”. Garante, na conversa com o NOVO, que não é negacionista, mas explica que “não pode existir apenas uma corrente e, quando as coisas não são explicadas, dá hipótese de pensar que eventualmente há alguma coisa escondida no meio disto tudo”.

A geringonça é outro dos alvos do militante do Chega. Em Julho escreveu que o país é “governado não por incompetentes, mas sim por ladrões. O povo é sereno e vai pagar tudo caladinho”.

A terceira demissão

O congresso do Chega está marcado para os dias 26 a 28 de Novembro. As candidaturas para presidente do partido podem ser apresentadas até ao dia 23 de Outubro.

Esta é a terceira vez que André Ventura apresenta a demissão e volta a candidatar-se. A primeira foi no dia 4 de Abril de 2020, por estar “farto e cansado” de ser boicotado pela oposição interna. A segunda foi a seguir às eleições presidenciais, no dia 24 de Janeiro deste ano, por não ter conseguido atingir os objectivos, apesar de ter recolhido quase meio milhão de votos.

No início deste mês, Ventura voltou a apresentar a demissão mas, desta vez, devido à decisão do Tribunal Constitucional. O líder e recandidato avançou de imediato com um novo congresso para não “perder mais tempo com imbróglios jurídicos”.

$!Ventura vai ter concorrência pela primeira vez. Quem é o homem que o desafia?
Ler mais
PUB