Saída de Cabrita “não é uma surpresa” para o PSD

Em reacção à demissão de Eduardo Cabrita, André Coelho Lima destacou as diversas polémicas em que o ministro esteve envolvido e que têm em comum a tentativa deste de “rechaçar responsabilidades”. O social-democrata critica ainda António Costa por não ter feito uma “apreciação crítica”.



Para os sociais-democratas, a demissão do ministro da Administração da Interna “não é uma surpresa”. Em declarações à SIC Notícias, André Coelho Lima reagiu à saída do governante e não poupou críticas a António Costa, que se “demitiu sempre de fazer um juízo de apreciação crítica sobre o percurso de Cabrita”.

Em declarações à mesma estação, o vice-presidente do PSD defendeu que o ministro demissionário teve um percurso político caracterizado “não propriamente pela tomada de decisões compreendidas e respeitadas”, mas por ter estado envolvido em diversos episódios polémicos. Em causa está, por exemplo, “o caso das golas, de Odemira ou dos festejos do SCP”, que têm em comum a tentativa de Cabrita de “rechaçar responsabilidades”.

O dirigente do PSD estendeu as críticas a António Costa, a quem competia “apreciar criticamente a actuação política do ministro da Administração Interna e actuar”.

Perante as polémicas que envolveram Cabrita, o PSD “não assumiu uma posição populista nem procurou cavalgar em cima dos episódios”, mas considera “inaceitável que, tendo morrido uma pessoa, não tivesse havido uma única palavra pública sobre a matéria”.

Recorde-se que Eduardo Cabrita apresentou, esta sexta-feira, a demissão do cargo de ministro da Administração Interna, horas depois de terem chegado a público detalhes sobre o atropelamento mortal na A6, a 18 de Junho deste ano. O Observador revelou que o motorista que conduzia o carro envolvido no acidente foi acusado pelo Ministério Público de homicídio por negligência, por conduzir a uma velocidade de 163 quilómetros por hora.

Ler mais
PUB