Rui Rio: “Estou disponível para negociar a governabilidade do país. António Costa não diz isto”

Líder do PSD acusou o secretário-geral socialista de “só clarificar que vai tentar fazer um acordo de governação que não se sabe exactamente qual é” e reforçou estar “completamente aberto a negociar” se os sociais-democratas perderem as eleições.



O presidente do PSD, Rui Rio, não tem dúvidas: António Costa continua a esconder o que pretende fazer caso o PS não vença as eleições legislativas de 30 de Janeiro de 2022. Ao contrário de si próprio, que diz estar “completamente aberto a negociar” caso os sociais-democratas não saiam vencedores.

“António Costa não acrescentou muito [ao que tinha dito anteriormente]. Só clarificou que vai tentar fazer um acordo que não se sabe exactamente qual é. Não se entende muito bem como é que pode haver estabilidade com a vitória do PS”, começou por dizer Rui Rio nas declarações aos jornalistas após o debate com o também primeiro-ministro.

Para o líder do principal partido da oposição, Costa agitou “dois papões” aos eleitores: “que o PSD vai pôr a classe média a pagar o SNS e que o PSD quer pôr os políticos a controlar a justiça” – duas acusações que o antigo presidente da Câmara do Porto definiu como “surrealistas”. “Não tem cabimento nenhum”, acrescentou.

Na conferência de imprensa, Rio assumiu que, “preferencialmente, vai procurar um entendimento com o CDS e a Iniciativa Liberal”. Se, com estes partidos, não somar 116 deputados, considera que “o PS deve estar disponível para negociar com o PSD a solução de governo”.

“Se estou a exigir isso dos outros, tenho de fazer o mesmo. Estou disponível para negociar a governabilidade do país. António Costa não diz isto. Antes pelo contrário, atira-se para uma ingovernabilidade”, acusou o líder social-democrata, garantindo que “está completamente aberto a negociar”. “Que remédio tem um democrata. Se não ganhar as eleições, não vou negociar de má-fé. Também espero que não façam isso comigo”, assumiu.

A fechar as declarações, novamente a possibilidade de a sucessão de António Costa no PS colocar os socialistas mais encostados à esquerda. “Quem tem mais hipóteses de suceder a António Costa é Pedro Nuno Santos, alguém que é bastante à esquerda. É minha obrigação colocar este raciocínio em cima da mesa”, concluiu.

Ler mais
PUB