Rui Gomes da Silva em Discurso Directo: “PSD e Chega estão condenados a entenderem-se”

“Discurso Directo” é um programa do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto. Veja a entrevista a Rui Gomes da Silva, antigo vice-presidente e ministro social-democrata.

Descontente com as linhas vermelhas que “outros impõem” ao seu partido, o antigo vice-presidente e ministro social-democrata Rui Gomes da Silva afirma que “o PSD e o Chega estão condenados a entenderem-se”, na medida em que um futuro governo à direita envolverá “obrigatoriamente” o partido fundado por André Ventura, a quem reconhece o carisma que não encontra em Luís Montenegro.

Em entrevista ao programa Discurso Directo, do NOVO e da JETV, Rui Gomes da Silva defende ainda que as próximas presidenciais poderão contar com “primárias” muito disputadas à esquerda e à direita, incluindo candidatos como o amigo Pedro Santana Lopes ou os socialistas Francisco Assis, António José Seguro e, “se tudo lhe correr bem a ele e mal ao país”, José Sócrates.

Evidente para o antigo ministro dos Assuntos Parlamentares do governo que não chegou ao fim da legislatura por vontade de Jorge Sampaio é que o executivo de Santana Lopes está completamente reabilitado, perante a acumulação de “casos e casinhos” no Governo de António Costa. Embora considere, numa entrevista que pode ser lida na íntegra na edição impressa do NOVO que chega às bancas neste sábado, que não existem motivos para dissolver a Assembleia da República, tal como defende que não existiam em 2004.

Ler mais