Rio “estupefacto” com o PS por travar audição do autarca de Setúbal

Presidente social-democrata considera que caso do acolhimento de refugiados de ucranianos por russos em Setúbal tem “dimensão nacional”. Mais, o dirigente admite ainda que o presidente da Câmara de Setúbal “não tem muitas condições para continuar”.



TÓPICOS

À margem dos 48 anos do aniversário do PSD, assinalados esta sexta-feira, no Porto, o presidente social-democrata manifestou-se “absolutamente estupefacto com aquilo que o PS resolveu fazer, que é impedir que o presidente da Câmara de Setúbal possa ser ouvido na Assembleia. Isso era absolutamente fundamental, até para ele próprio”.

Em causa está uma audição travada pelos votos contra do PS no Parlamento do presidente da Câmara de Setúbal, André Martins, por causa do acolhimento de cerca de 100 refugiados ucranianos terem sido feito por russos, um deles, alegadamente, com ligações ao regime de Putin.

Para Rio este caso ganhou “dimensão nacional” e o próprio anunciou esta sexta-feira, no Porto, que a reunião da sua direcção , na próxima terça-feira, terá como um dos pontos da agenda este caso, designadamente, se o PSD deve ter uma posição sobre o que os “vereadores devem fazer”. Tecnicamente, o PSD não tem poderes sobre os eleitos locais. “Mas o partido pode ter opiniões? Pode. Depois os vereadores fazem o que entenderem”, lembrou Rui Rio, confrontado com o facto de o vereador Fernando Negrão, na câmara de Setúbal, ainda não ter alinhado com o PSD local sobre a intenção de apresentar a renúncia para provocar eleições intercalares.

Negrão já disse ao NOVO que “se acontecer a renúncia por parte do PSD e PS”, irá fazê-lo “igualmente por considerar que a representatividade fica manifestamente desvirtuada”. Para já, Rui Rio não falou com o vereador, principal rosto do PSD na autarquia de Setúbal, mas tenciona conversar com o autarca. Mais, Rio admitiu que o presidente da Câmara de Setúbal, André Martins, (CDU) “não tem muitas condições para continuar”. Entretanto, o PSD, ao nível da assembleia municipal de Setúbal, vai avançar com uma moção de censura na próxima sessão, terça-feira, 10 de Maio e o PS está a ponderar o mesmo, avançou a Lusa.

As declarações de Rio foram feitas antes de assinalar, os 48 anos do PSD num debate- Encontro de Gerações. A lista de iniciativas do PSD foi curta, mas o ainda líder do PSD usou o Twitter para dizer “muito obrigado a todos os que ajudaram a construir esta história de quase meio século”.

O aniversário do partido ocorre a três semanas das eleições directas, com a mudança de liderança. Os dois candidatos - Luís Montenegro e Jorge Moreira da Silva- assinalaram a data nas redes sociais, com declarações e vídeo (caso de Luís Montenegro) e com acções de campanha. Montenegro teve um encontro com jovens em Caxias, enquanto o adversário, Jorge Moreira Silva, assinalou a data em Barcelos.

Ler mais