PSP reforça segurança de Ferro Rodrigues depois dos insultos de negacionistas

Polícia fez avaliação de risco na sequência dos protestos de negacionistas à porta do restaurante onde o presidente do Parlamento almoçava no passado sábado. Há uma equipa de prevenção da PSP, composta por três elementos, que irá reforçar a equipa que já estava destacada para o número dois do Estado.

O protesto de negacionistas, gravado em vídeo no passado sábado, com os manifestantes a insultarem Ferro Rodrigues, enquanto este almoçava num restaurante perto do Parlamento, em São Bento, Lisboa, já teve duas consequências. Primeiro, a abertura de inquérito pela Procuradoria-Geral da República e, segundo, uma avaliação de risco de segurança feita segunda-feira ao final do dia pela polícia. Resultado? Há uma equipa de prevenção de três elementos do Corpo de Segurança Pessoal da PSP destacada para reforçar a segurança do Presidente do Parlamento, apurou o NOVO junto de fonte policial. Ferro Rodrigues tem agora ao seu dispor duas equipas de segurança.

Esse reforço policial pode ser accionado sempre que necessário, de acordo com as circunstâncias, e determinar outro tipo de diligências.

Mais, já foi identificada uma pessoa com ligações à extrema-direita na manifestação, sinal de que a monitorização da PSP está a ser feita em permanência, apurou o NOVO.

A Direcção Nacional da PSP limitou-se, por seu turno, a esclarecer que “a segurança pessoal prestada pelos polícias da PSP insere-se num esquema de segurança, planeado, permanentemente monitorizado e orientado para os riscos e ameaças que, concretamente, são identificados para a pessoa visada”. Além disso, “todas as alterações de contexto são integradas nesse processo, sejam de possível agravamento ou de desanuviamento, no sentido de determinar se as medidas implementadas são as necessárias e suficientes para colmatar as ameaças e riscos identificados”.

A PSP assume que as “recentes situações são analisadas” por aquela força de segurança, mas não revela “as medidas de segurança disponibilizadas a nenhuma pessoa em concreto”.

Ler mais
PUB