PSD em congresso para sair do ponto de embraiagem

Luís Montenegro chega à reunião magna social-democrata, 34 dias após a sua eleição, com a promessa de combate político ao Governo. O novo líder conseguiu manter a estratégia, de antecessores como Cavaco Silva ou Passos Coelho, de fazer convites “à queima-roupa” para a sua equipa. Mas tudo indica que terá como secretário-geral (ou vice) Hugo Soares, que foi o seu braço-direito no Parlamento. E Paulo Mota Pinto anunciou que não tenciona manter-se na liderança da bancada. Rui Rio terá o discurso do “auf Wiedersehen”



Ao fim de 34 dias após as eleições directas do PSD, o partido escolhe este fim-de-semana, no Porto, a nova equipa de Luís Montenegro, sucessor de Rui Rio. É a chamada entronização. Mas o compasso de espera deixou o PSD “em ponto de embraiagem”, ouviu o NOVO de uma fonte parlamentar do partido.

Montenegro e Rio, contudo, cumpriram à risca o processo de transição e o novo líder recuperou uma velha estratégia de reserva absoluta para compor a sua equipa, usada pelo antigo líder social-democrata Cavaco Silva.

Assim, os convites formais a personalidades para integrarem os novos órgãos só se confirmam esta sexta-feira e no sábado, ou seja, em pleno congresso, numa fórmula também aplicada por outros antecessores, como Passos Coelho.

Leia a notícia na íntegra na edição impressa do NOVO desta sexta-feira, 1 de Julho.

$!PSD em congresso para sair do ponto de embraiagem
Ler mais
PUB