Pedro Pinto: “Luís Montenegro já percebeu que não haverá governo de direita sem o Chega”

Liderar a terceira maior bancada da Assembleia da República foi o desafio aceite por um dos 12 deputados estreantes que o Chega elegeu nestas legislativas. Pedro Pinto diz que o partido continuará a fazer oposição ao PS, esperando contar com um PSD diferente do “centro-esquerda” de Rui Rio, pois “só uma direita forte poderá tirar a governação socialista”.

Eleito presidente do grupo parlamentar do Chega com os votos de todos os deputados do partido, Pedro Pinto tem, aos 44 anos, o desafio de liderar uma bancada que pretende provar que há vida para além de André Ventura. Em entrevista ao NOVO, que pode ler, na íntegra, na edição que está nas bancas esta quinta-feira, o eleito pelo círculo de Faro traça objectivos para a legislatura e assegura que diz sempre “bom dia” e “boa tarde” a deputados que não lhe falam.

Apesar da “responsabilidade política” em causa, o deputado revela que aceitou, “sem hesitar”, o desafio de “gerir o grupo parlamentar da terceira força política” quando o convite lhe foi endereçado.

Pedro Pinto assume também que “ainda é cedo para falar em alianças” políticas, mas defende que é determinante unir esforços à direita para derrotar o socialismo e que “Montenegro já percebeu que não haverá governo de direita em Portugal sem o Chega”.

$!Pedro Pinto: “Luís Montenegro já percebeu que não haverá governo de direita sem o Chega”
Ler mais
PUB