PAN considera que Marcelo “se precipitou” ao falar de eleições antecipadas

Inês Sousa Real considera que a melhor opção para o país é que o Governo de António Costa apresente um novo Orçamento do Estado para 2022 no Parlamento. PCP e BE acusados de “tacticismo político”.



A porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, defende que a melhor opção para o país ultrapassar a crise política aberta com o chumbo da proposta do Orçamento do Estado para 2022 é a apresentação de um novo documento por parte do Governo de António Costa. Aos jornalistas, após a votação, a deputada considerou mesmo que o Presidente da República, António Costa, se precipitou ao falar de eleições legislativas antecipadas, visto que “há outras opções a ser esgotadas”.

“Estará nas mãos do PR, achamos que se precipitou ao decidir eleições. Mas se formos para eleições vamos sem receio. Vamos ver a decisão do Presidente”, declarou Inês Sousa Real, que recusou fazer conjecturas sobre a possibilidade de integrar a “maioria estável” que António Costa pediu aos portugueses no discurso de encerramento do debate e aprovação na generalidade do OE2022. “Caso não seja possibilidade de fazer novo OE, só em Maio teremos novo OE. Temos noção das consequências para o país e das respostas adiadas”, acrescentou.

A deputada do PAN assumiu que o partido prefere a possibilidade de ser apresentado um novo OE para o próximo ano a que o país seja governado por duodécimos. Além disso, deixou fortes críticas ao PCP e ao BE, contrapondo com o PAN que, garante, não faz “política de terra queimada”, apesar de “não estar colado ao Governo socialista”. “Há um claro tacticismo político. É absolutamente lamentável” que aqueles partidos não tenham “dado uma oportunidade” ao OE, acusou.

Esta quarta-feira, a proposta de Orçamento do Estado para 2022 apresentada pelo Governo de António Costa foi chumbada com os votos contra de PSD, CDS, BE, PCP, Os Verdes, Iniciativa Liberal e Chega. O PAN e as deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues abstiveram-se. O PS foi o único partido a votar a favor do documento.

Ler mais
PUB