Moedas: “Este novo ciclo começa em Lisboa mas não vai acabar em Lisboa”

O candidato do PSD à Câmara de Lisboa foi a maior surpresa. Será o novo autarca da capital e falou de um novo ciclo em que se “fez história” e se ganhou “contra tudo e contra todos”.



Carlos Moedas foi o grande vencedor da noite eleitoral autárquica ao surpreender e ser eleito o novo presidente da Câmara de Lisboa. O rosto da coligação Novos Tempos subiu ao púlpito já depois das duas e meia da manhã a lembrar que se “fez história”. Mais: “Ganhámos contra tudo e contra todos.”

Antes de discursar, avisou que tinha falado com o seu adversário, Fernando Medina, para lhe desejar felicidades profissionais e pessoais, porque “a democracia é isso”. Depois, na intervenção, voltou a defender o que já tinha ensaiado em campanha: “Hoje iniciamos este novo ciclo. Começa em Lisboa, mas não vai acabar em Lisboa”, atirou Moedas, aludindo a uma viragem de ciclo que a direita sonha para 2023.

Sobre Lisboa, o novo presidente da câmara prometeu que iria trabalhar com todos, com consensos, tal como o fez em funções anteriores, e agradeceu aos lisboetas a vitória, tal como aos partidos, à sua equipa e aos independentes que o apoiaram.

“Esta vitória é a prova de que podemos mudar o sistema, porque a democracia não tem dono”, afirmou Moedas numa noite eleitoral em que a coligação Novos Tempos arrecadou também freguesias como as de Arroios, Alvalade e Parque das Nações. Por explicar ficou a fórmula como Moedas irá gerir o executivo, havendo uma maioria de esquerda.

Numa noite eleitoral surpreendente em Lisboa, os líderes do PSD e do CDS fizeram questão de ir cumprimentar Carlos Moedas, o novo autarca de Lisboa, que contrariou a tendência das sondagens.

Ler mais
PUB