Marcelo prevê visitar militares portugueses na Roménia antes do Natal

Deslocação à Roménia está prevista para os dias 19 e 20 de Dezembro. Antes disso, já no próximo fim-de-semana, Marcelo viaja até Cabo Verde, para “assistir à cerimónia de homenagem e de concessão, a título póstumo, do grau de Doutor Honoris Causa a Amílcar Lopes Cabral”.



O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, comunicou ao Parlamento que tem prevista uma visita antes do Natal aos militares portugueses da Força Nacional Destacada que participa numa missão da NATO na Roménia.

Na missiva dirigida esta segunda-feira à Assembleia da República, o chefe do Estado e comandante supremo das Forças Armadas pede “o necessário assentimento” dos deputados para a sua “deslocação à Roménia, nos dias 19 e 20 de Dezembro de 2022, a fim de visitar, nas vésperas de Natal”, a Força Nacional Destacada neste país.

O plano de forças nacionais destacadas para 2022, recorda a agência Lusa, já previa o envio de um contingente de militares portugueses para a Roménia no segundo semestre do ano, como aconteceu em 2021, mas a partida foi antecipada na sequência da guerra entre a Ucrânia e a Rússia.

A 1.ª Força Nacional Destacada, composta por 222 militares portugueses, partiu para a Roménia em 15 de Abril deste ano. Mais recentemente, em Outubro, partiram para aquele país 166 militares portugueses da 2.ª Força Nacional Destacada para integrar a missão da NATO que tem como objectivo contribuir para o esforço de dissuasão e defesa da Aliança Atlântica.

Marcelo em Cabo Verde este fim-de-semana

Já esta sexta-feira, Marcelo voa até Cabo Verde, numa viagem que decorrerá até domingo, dia 11. O chefe do Estado vai “assistir à cerimónia de homenagem e de concessão, a título póstumo, do grau de Doutor Honoris Causa a Amílcar Lopes Cabral”.

A deslocação foi aprovada no Parlamento na semana passada, com o voto favorável de todos os partidos, à excepção do Chega, que votou contra. De acordo com a Constituição da República, o Presidente da República não pode ausentar-se do território nacional sem o assentimento da Assembleia da República.

Esta formalidade esteve recentemente no centro das atenções depois da polémica deslocação do Presidente ao Catar, país anfitrião do Mundial de futebol, que dividiu opiniões no hemiciclo, merecendo inclusivamente o voto contra de quatro deputados do PS.

Ler mais