JSD endurece campanha contra António Costa nas redes sociais

Juventude Social Democrata divulga vídeo de propaganda que faz uma compilação dos casos e polémicas que marcaram os últimos anos da governação socialista. Sondagens revelam que a corrida a São Bento está renhida.



A escassos dias do fim da campanha eleitoral, a Juventude Social Democrata (JSD) endurece a campanha contra António Costa nas redes sociais, ao divulgar um vídeo de propaganda que compila os casos e as polémicas da governação socialista dos últimos seis anos. “O primeiro-ministro é a imagem do seu Governo. Um dirigente experiente escolhe a equipa à sua imagem”, ouve-se no vídeo publicado no Facebook da jota laranja, que frisa que o Governo de António Costa é o “maior da história de Portugal”.

Um dos alvos dos sociais-democratas é Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna que resistiu no executivo até se demitir no final de 2021, no dia em que ficou a conhecer-se o despacho de acusação sobre o acidente em que esteve envolvida a sua viatura, e do qual resultou um morto, em Junho passado. A JSD recorda a falha do sistema de comunicação em Pedrógão (na altura, era Constança Urbano de Sousa a responsável pela pasta); o caso das golas inflamáveis; a falta de inspectores do SEF e ainda a morte do cidadão ucraniano no aeroporto de Lisboa.

No vídeo, a estrutura partidária liderada por Alexandre Poço responsabiliza Marta Temido pelo facto de mais de um milhão de portugueses ainda não ter médico de família (um objectivo que o Governo reconheceu ter falhado), pelas demissões em bloco em hospitais, assim como pelos longo tempos de espera para uma consulta.

Sobre Cravinho, ministro da Defesa, a JSD lembra o caso do contrabando de diamantes por militares portugueses na República Centro Africana (RCA) e ainda o roubo das armas em Tancos. Na altura, sublinhe-se, era Azeredo Lopes quem tutelava a pasta da Defesa. O ex-governante foi recentemente absolvido de todos os crimes de que estava acusado neste caso.

O vídeo de propaganda tem ainda como alvos o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, o secretário de Estado João Galamba, o anterior ministro das Finanças, Mário Centeno, o actual, João Leão, e a ministra da Justiça que, entretanto, acumulou também a pasta da Administração Interna depois da demissão de Eduardo Cabrita. Francisca Van Dunem já fez saber que não está disponível para um futuro Governo socialista, caso o partido vença as eleições.

Numa altura em que faltam três dias para o fim da campanha eleitoral, cresce a incerteza quanto ao desfecho eleitoral de domingo, com sondagens a indicarem uma disputa renhida entre os dois principais partidos. Aliás, a sondagem da Aximage divulgada esta terça-feira revela que o PSD ganhou uma ligeira vantagem (34,4%) sobre o PS (33,8%) na corrida a São Bento.

Ler mais
PUB