Jerónimo de Sousa de consciência tranquila? “Sempre”

Secretário-geral do PCP não prestou declarações aos jornalistas após o chumbo do OE2022, respondendo a uma pergunta sobre a tranquilidade após a decisão dos comunistas.



O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, garantiu, esta quarta-feira, estar tranquilo com a decisão tomada pelos comunistas de votarem contra o Orçamento do Estado para 2022, ajudando assim a que o documento fosse chumbado pelo parlamento.

Aos jornalistas, de acordo com o Expresso, respondeu de forma clara quando lhe foi perguntado se estava de “consciência tranquila” perante a decisão tomada. “Sempre”, disse o líder comunista.

Esta quarta-feira, a proposta de Orçamento do Estado para 2022 apresentada pelo Governo de António Costa foi chumbada com os votos contra de PSD, CDS, BE, PCP, Os Verdes, Iniciativa Liberal e Chega. O PAN e as deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues abstiveram-se. O PS foi o único partido a votar a favor do documento.

Durante o discurso de encerramento do debate orçamental, António Costa, assumiu que a não aprovação do documento representaria “uma derrota pessoal” e que a solução governativa de 2015, a chamada geringonça, não foi uma “solução de recurso”. “Nasci à esquerda, fui criado à esquerda e a esquerda é a minha família (...) Acredito que tem todo o potencial para construir o futuro e que não está condenada ao protesto”, assumiu.

Ler mais
PUB