Há um governante de Passos na equipa com que Carla Castro quer fazer chegar a IL a 3.ª força

Candidata a presidente da comissão executiva dos liberais ambiciona “maiores voos políticos” para a IL e afirma que a sua lista “representa o partido que vai sair das redes sociais e vai para as ruas”.



Carla Castro, candidata à liderança da Iniciativa Liberal (IL), revelou esta quinta-feira a lista da sua equipa, composta por 15 elementos (mais os suplentes), com a qual promete fazer o partido crescer e chegar a terceira força política nacional. Paulo Carmona é o único da actual direcção a ‘ir a jogo’ ao lado da parlamentar, apresentando-se como candidato a vice-presidente da comissão executiva dos liberais. Filomena Francisco também ocupará o cargo de vice-presidente e João Cascão será secretário-geral.

Entre os nomes que completam a comissão executiva da IL está Pedro Silva Martins, secretário de Estado do Emprego entre 2011 e 2013, no governo de Pedro Passos Coelho, e Tomás Pereira, estudante de Direito de 20 anos, o elemento mais jovem da equipa de Carla Castro. A dispersão geográfica é outra das características da lista apresentada, com representação de norte, centro e sul, mas especialmente nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.

“Esta lista representa o partido que vai sair das redes sociais e vai para as ruas e para a sociedade com propostas, com trabalho e com uma oferta de mudança realista no panorama político português”, afirmou a deputada em declarações aos jornalistas, enaltecendo a equipa escolhida e com a qual ambiciona “maiores voos políticos”.

“É uma lista com capacidade unificadora e que sabe fazer crescer a partir dos membros e da estrutura local (...) Com esta lista, apresento uma candidatura que permite aliar experiência politica e conhecimento da organização da IL, e com capacidade para fazer crescer o partido (...) para que tenha aspirações de governo.”

A candidata a suceder a João Cotrim Figueiredo estabelece como objectivos, caso derrote o colega de bancada Rui Rocha na convenção electiva de 21 e 22 de Janeiro, “eleger na Madeira, multiplicar nos Açores, eleger nas europeias em 2024 e tornar a Iniciativa Liberal na terceira força política em Portugal”.

Ler mais