Governo aguarda decisão de Marcelo mas garante estabilidade

Estabilidade económica, financeira e social garantem normalidade, afiançou Mariana Vieira da Silva, um dia depois do chumbo do Orçamento do Estado.



A decisão sobre o futuro do país “cabe a ele e só a ele”, afirmou a Ministra da Presidência, referindo-se a Marcelo Rebelo de Sousa, no final do Conselho de Ministros que teve lugar esta manhã.

A Governante, que insistiu na ideia de que não é tempo de antecipar cenários, e sim de aguardar a decisão do Presidente da República, fez questão de sublinhar, porém, que o Executivo não se demitiu: “Tanto o Governo como a AR estão na plenitude de funções”.

Assim sendo, Mariana Vieira da Silva acredita que “a situação do país permite garantir estabilidade nas contas públicas e nos compromissos assumidos”. A ministra rejeitou assim a possibilidade da situação política nacional acabar por ter reflexo nos mercados financeiros e na credibilidade do país junto das instituições europeias.

Confrontada pelos jornalistas acerca das medidas negociadas com a esquerda, e anunciadas nas últimas semanas no âmbito da proposta de Orçamento do Estado, Mariana Vieira da Silva admitiu que nem todas vão avançar, agora que as contas do Estado esbarraram no Parlamento.

O Governo está a preparar a lista das que são prioritárias, e garante que “tomará todas as medidas ao seu alcance”, sobretudo as que são fruto dos compromissos assumidos, mas lembra que algumas delas dependiam directamente da aprovação do OE 2022. A ministra da Presidência não avançou quais: “Não faz sentido antecipar cenários. Cumpriremos no âmbito da capacidade que tivermos de cumprir. Esse âmbito ainda não é conhecido. Este é o tempo de decisão do PR”, sublinhou.

Ler mais
PUB