Em marcha despedimento colectivo no PAN

Marta Pacheco, prima da ex-deputada Cristina Rodrigues, é uma das funcionárias visadas. Críticos falam em “saneamento político” e acusam Sousa Real de colocar os desalinhados numa “lista negra”.



TÓPICOS

Em clima de guerrilha interna depois de ter ficado reduzido a um deputado, o Pessoas-Animais-Natureza avançou para o despedimento colectivo de duas funcionárias da secretaria administrativa.

O partido justifica o despedimento colectivo, em resposta ao NOVO, com a redução da subvenção estatal decorrente dos resultados das eleições de 30 de Janeiro. “O PAN divulgou publicamente, desde o primeiro momento, que de acordo com os resultados eleitorais obtidos nas legislativas e da consequente perda de subvenção, seria necessária uma reestruturação dos recursos humanos do partido. Desta forma, foi utilizada a figura de despedimento colectivo para o despedimento de dois colaboradores afectos à estrutura nacional.”

Marta Pacheco, prima de Cristina Rodrigues, antiga deputada que rompeu com o partido em 2020 e que assumiu agora o cargo de assessora do Chega, é uma das visadas neste despedimento, sabe o NOVO.O seu afastamento, porém, seria um objectivo antigo da direcção, que alegava “falta de confiança política” na funcionária por ser familiar de Cristina Rodrigues, acusam os críticos.

Leia o artigo na íntegra na edição do NOVO em papel que está esta sexta-feira, dia 13, nas bancas.

$!Em marcha despedimento colectivo no PAN
Ler mais
PUB