Directas: Passos desmente apoio a Rio e tenta travar comentário falso

Antigo primeiro-ministro promete participar na votação para as directas do próximo Sábado, mas não declara apoio a nenhum dos candidatos. O ex-líder social-democrata quebrou o silêncio sobre a vida interna do partido para denunciar um comentário falso em seu nome no Facebook.



O antigo líder do PSD Pedro Passos Coelho viu o seu nome ser usado, na rede social Facebook, a apelar ao voto em Rui Rio, presidente social-democrata. Perante este dado quebrou a regra de não falar sobre a vida interna do maior partido da oposição para esclarecer que nem tem conta naquela rede social. Mais, não pretende manifestar o apoio oficial a Rio ou a Paulo Rangel, o adversário do líder.

“Fui alertado esta tarde para uma página de Facebook que me é supostamente atribuída e onde foi colocada, no passado dia 23, uma mensagem em meu nome de apoio a um dos candidatos que disputa a liderança do PSD nas eleições diretas que terão lugar no próximo dia 27. Na verdade, não disponho de qualquer conta de Facebook e este tipo de mensagem deve ser denunciado já que é falso e totalmente abusivo”, declarou por escrito Passos Coelho, citado pela Lusa.

O antigo primeiro-ministro garante, contudo, que irá participar na votação do próximo Sábado, dia em que os militantes decidirão quem é o próximo líder do PSD.

Na recta final da campanha interna do PSD também foi partilhada, na rede social WhatsApp, uma mensagem que dava conta que Luís Montenegro, ex-adversário de Rui Rio (nas directas de Janeiro de 2020) encabeçava uma lista única de delegados a congresso, graças ao esforço de dezenas de apoiantes de Rui Rio. Ora, esta não é a versão completa da história. A lista reúne apoiantes dos dois lados, (tanto de Rio como de Rangel) em nome do consenso, como pediu o também antigo líder parlamentar, num sinal de que o PSD precisa de paz interna. A lista (noticiada pelo JN) resultou do consenso entre a concelhia de Espinho e a estrutura distrital de Aveiro (afecta a Rui Rio), apurou o NOVO. Assim, Luís Montenegro irá ao congresso como delegado eleito.

Ler mais
PUB