Costa reconhece que “não sabia da existência do despacho” e diz que “obviamente foi cometido um erro grave”

O primeiro-ministro disse que o “erro” foi rapidamente corrigido. Mantém confiança em Pedro Nuno Santos.



Após Pedro Nuno Santos ter assumido uma “falha relevante” no despacho sobre a solução aeroportuária para a região de Lisboa e não se ter demitido, o primeiro-ministro falou aos jornalistas. António Costa admitiu que “não sabia da existência do despacho” e realçou que “obviamente foi cometido um erro grave”.

“Não sabia da existência daquele despacho. Já está devidamente revogado e está reencaminhado para o caminho de onde nunca devia ter sido desviado”, assinalou Costa. “Os Governos cometem erros. O que é importante é que quando os cometem, rapidamente os corrijam. O erro foi cometido ontem e hoje de manhã foi corrigido”, acrescentou.

Na sua declaração, o primeiro-ministro fez críticas à actuação de Pedro Nuno Santos, que levou a esta crise no Governo - vincou que os “políticos não podem inventar soluções técnicas” - mas destacou que mantém a confiança no ministro. Costa frisou que a questão “está ultrapassada” e que “a confiança está totalmente restabelecida”.

Sobre a solução para o novo aeroporto de Lisboa, o primeiro-ministro insistiu que é necessário chegar a um consenso com a oposição, nomeadamente com o PSD.

“Aguardo que a nova liderança do PSD defina qual é a posição que tem. Nenhuma destas soluções técnicas é exequível para o prazo de uma legislatura. Estas decisões têm consequências durante décadas”, sublinhou.

Ler mais
PUB