Chumbo do OE é notícia além-fronteiras: imprensa destaca “fim do affair” à esquerda e um António Costa de “consciência tranquila”

OE2022 foi o primeiro a ser chumbado desde o 25 de Abril. Meios de comunicação destacam “travão” na recuperação económica e a aliança dos partidos contra o Governo socialista.



O chumbo do Orçamento do Estado para 2022, o primeiro desde o 25 de Abril, não passou ao lado da imprensa internacional, que relata o “fim do affair” à esquerda e um António Costa de “consciência tranquila”.

O jornal norte-americano Politico destaca o fim “do amor de seis anos entre o primeiro-ministro socialista e os partidos de extrema-esquerda” que, escreve, “se juntaram à direita para votar contra o Orçamento do Estado”.

O The Guardian realça o impacto do chumbo do documento na recuperação da crise provocada pela pandemia de covid-19 e reproduz as palavras de António Costa, que se declarou de “consciência tranquila”.

O jornal britânico salienta ainda que o primeiro-ministro, cuja reputação internacional aumentou consideravelmente durante a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, é considerado candidato a um cargo internacional, podendo um mau resultado nas eleições antecipadas precipitar a sua partida. Note-se que, em Abril, o NOVO apurou que António Costa já ponderava rumar a Bruxelas em 2024, data agora afectada pelo cenário de crise política actual.

O espanhol El País, por sua vez, escreve que o primeiro passo para uma ida antecipada às urnas foi dado esta quarta-feira, tendo António Costa visto “os seus antigos aliados” juntarem-se ao “partido de extrema-direita Chega”.

Ler mais
PUB