Chega quer desconto directo nos preços dos combustíveis

Perante a escalada de preços dos combustíveis, o Chega propõe a criação de um desconto extraordinário de 20 cêntimos por litro de combustível durante, pelo menos seis meses. “O preço dos combustíveis é um atentado a todas as famílias e empresas”, defende André Ventura.



André Ventura não poupa críticas ao Executivo de António Costa, acusando-o de nada fazer para controlar a escalada de preços nos combustíveis. “O preço dos combustíveis é um atentado a todas as famílias e empresas”, escreveu numa publicação no Twitter esta quarta-feira.

Considerando que “há países que estão a tomar medidas concretas e reais que permitem a redução do preço da gasolina e do gasóleo”, o líder do Chega atira que, em Portugal, “o Governo recusa-se a promover uma redução imediata dos preços”.

Em comunicado enviado às redacções, o partido revela também que deu entrada com um projecto de lei que propõe uma redução de vinte cêntimos por litro no preço dos combustíveis. “Esta medida visa mitigar o impacto do aumento destes preços nos custos de produção das empresas e no orçamento das famílias”, lê-se na nota.

O Chega defende que, em Portugal, “mais de metade do preço por litro da gasolina e do gasóleo traduz-se em impostos e taxas, o que pode ascender a cerca de 65% do valor total”. Este cenário é completamente distinto daquele a que se assiste noutros países da Europa, como “Espanha, França e Itália, que já tomaram medidas para mitigar a subida dos combustíveis”.

O Chega propõe, por isso, a criação de um desconto extraordinário de 20 cêntimos por litro de combustível a vigorar por um período de seis meses, “com possibilidade de renovação por iguais períodos de tempo, enquanto se mantiverem as contingências actuais”.

Ler mais
PUB