Cavaco Silva acusa António Costa de “falta de força política” para demitir Pedro Nuno Santos

“Quem já exerceu essa função sabe que o primeiro-ministro não podia deixar de demitir o ministro. Ao não fazê-lo, evidenciou falta de força política”, realçou o ex-governante num artigo de opinião publicado esta sexta-feira no “Público”.



Aníbal Cavaco Silva lançou críticas à atuação do Governo num artigo de opinião publicado esta sexta-feira no jornal “Público”, em que dedicou especial foco a episódios que, na opinião do antigo governante “não podem ser levados à categoria de fait-divers”.

Neste artigo de opinião, Cavaco Silva manifestou “o receio de que os comportamentos politicamente reprováveis de alguns membros do Governo que, a par do casos no funcionamento do Serviço Nacional de Saúde, têm marcado a vida do executivo”. No entender do antigo primeiro-ministro e Presidente da República, estes episódios “têm marcado a vida do executivo, possam tolher a ação do primeiro-ministro e do Conselho de Ministros e acentuar a sua tendência para a inércia”.

Para Cavaco Silva, a questão do novo aeroporto de Lisboa resultou na “gravidade da afronta política do ministro das Infraestruturas ao primeiro-ministro”: “Quem já exerceu essa função sabe que o primeiro-ministro não podia deixar de demitir o ministro. Ao não fazê-lo, evidenciou falta de força política – a razão é ainda uma incógnita –, pondo em causa a sua autoridade e, ao mesmo tempo, atingindo a credibilidade do Conselho de Ministros e o respeito pela colegialidade que o deve caracterizar”.

Ainda relativamente a Pedro Nuno Santos, Cavaco Silva defende que o ministro “saiu inequivocamente reforçado como candidato à sucessão do primeiro-ministro como líder do PS”.

Ler mais