Cartaz do PSD Seixal alvo de denúncias por discriminação e xenofobia

Queixas estão a ser analisadas pela Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial. Bruno Vasconcelos defende que denúncias foram feitas por quem “lida muito mal com o contraditório e com a oposição”.



“Depois de 45 anos a comer arroz, vais cotar nos mesmos de sempre? Mao, Mao, Maria”. Esta é a mensagem do cartaz do PSD Seixal, no qual também se defende que “Só o laranja é o cartão vermelho ao socialismo”, alvo de duas denúncias junto da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial por discriminação e xenofobia.

“De acordo com os factos denunciados, no dia 23 de Julho de 2021, terá sido, alegadamente, fixado, na via pública na localidade do Seixal, e publicado no Facebook, um cartaz com a figura de Mao Tse Tung e com a seguinte frase “Depois de 45 anos a comer arroz”, explica-se na notificação enviada pelo CICDR ao candidato social-democrata à câmara local, Bruno Vasconcelos. Na mesma, explica-se que tal frase é vista, nas denúncias, como susceptível de “discriminar o povo chinês, sendo um acto xenófobo” e “diminuidor da cultura chinesa. Os denunciantes consideram igualmente que esta frase pretende alegadamente diminuir “as dificuldades que os chineses passaram durantes as várias lutas e guerras que enfrentaram e que os obrigou a substituir muito com base no arroz”, acusando o PSD Seixal de “fazer da fome de um povo uma piada”.

Assim, o organismo solicita a colaboração de Bruno Vasconcelos para esclarecer quatro perguntas: “A que pretende aludir com a frase ‘45 anos a comer arroz’?”; “Qual a associação pretendida entre a imagem de Mao Tse Tung e a frase ‘45 anos a comer arroz´?”; “Qual o público-alvo deste cartaz em específico?”; “No cartaz em causa, pretendeu de alguma forma referir-se à comunidade asiática, mais especificamente à comunidade chinesa?”.

Em comunicado, o político social democrata assegura que irá responder em breve às questões colocadas pela CICDR, assegurando estar de “consciência tranquila”. “Estas denúncias foram certamente feitas por pessoas que lidam muito mal com o contraditória e com oposição”, acusa.

Para Bruno Vasconcelos, “o intuito do cartaz é claro: trata-se de um jogo com a expressão ‘Outra vez arroz?’, já que o Seixal é governado pelos mesmos há 45 anos”. Desta maneira, defende, “a associação que há entre imagem e texto é, claramente, com a frase ‘Mao, Mao, Maria.’ Qualquer outra associação, especialmente uma xenófoba, é da responsabilidade de quem assim o quer interpretar”, frisa.

“Temos feito diversos cartazes com várias figuras comunistas sanguinárias, e o objectivo tem sido sempre o mesmo: lembrar o eleitorado seixalense de algumas das referências do PCP, bem como das consequências de deixar levar a ideologia comunista avante. Já fomos de Stalin e Fidel até Mao, podendo ainda passar por uns quantos mais, não sendo minimamente relevante a sua raça ou etnia, apenas a sua ideologia”, conclui.

As queixas, segundo a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial, foram remetidas à Comissão Nacional de Eleições.

Ler mais
PUB