Professores do ensino superior exigem regime presencial no próximo ano lectivo

Sindicato Nacional do Ensino Superior (SNESup) diz não encontrar qualquer justificação para que, a partir de Setembro, todas as actividades lectivas não decorram de forma presencial.



Os professores do ensino superior exigem aulas de forma presencial no próximo ano lectivo, que arranca em Setembro, tendo em conta o bom ritmo de vacinação em Portugal e a evolução do número de casos de covid-19.

“O Sindicato Nacional do Ensino Superior (SNESup) não encontra qualquer justificação para que a partir de Setembro/Outubro todas as actividades lectivas – aulas teóricas, práticas, teórico-práticas e avaliações - não decorram de forma presencial”, sublinhou o sindicato numa nota divulgada.

O SNESup adiantou ainda que os docentes entendem que o risco de surtos nas universidades ou de novos casos será “residual”.

“A pandemia fez com que os dois últimos anos lectivos tivessem decorrido de forma atípica com o recurso ao ensino à distância generalizado. Ou seja, mais de metade das licenciaturas – que na esmagadora maioria têm a duração de três anos lectivos - foram realizadas sem o contacto presencial entre alunos e professores, através de um ecrã de computador”, referiu em comunicado, dizendo ainda que a situação dos anos anteriores “não deixará de ter graves repercussões na formação desta geração de estudantes”.

“Nada substitui o contacto entre os alunos e os docentes em sala de aula. E não é com base no regime generalizado de ensino à distância que em Portugal está desenhado o sistema de ensino superior”, concluiu o sindicato.

Ler mais
PUB