“Missão certa no momento certo”: Marcelo diz que “Portugal é o que é devido aos oceanos”

Esta segunda-feira arrancou a Conferência dos Oceanos da ONU, que decorre em Lisboa. No discurso inaugural, o Presidente da República destacou a importância dos oceanos em diversas áreas e a importância de preservá-los.



A Conferência dos Oceanos da ONU começou esta segunda-feira. O evento decorre em Lisboa até à próxima sexta-feira e conta com o apoio dos governos de Portugal e do Quénia. O lema do evento não esconde a importância do momento que vivemos: “Salvar os Oceanos, Proteger o Futuro”. No discurso inaugural na Altice Arena, Marcelo Rebelo de Sousa deu conta dessa preocupação e da necessidade de preservar os oceanos.

“Tem de ser a missão certa no momento certo”, disse o Presidente da República. “É a conferência certa no momento certo, com o enfoque certo, e o secretário-geral da ONU certo”, afirmou, numa referência a António Guterres.

Marcelo Rebelo de Sousa frisou na sua intervenção que “Portugal é o que é devido aos oceanos” e salientou que “os políticos passam, os oceanos ficam”.

“Cá estarão nos próximos milhões de anos desde que tratemos deles. Os oceanos são centrais ao equilíbrio geopolítico do poder, da saúde, da economia, da energia, da mobilidade, das migrações, dos desenvolvimentos tecnológicos e científicos, das alterações climáticas”, reforçou o chefe do Estado.

Antes de concluir o seu discurso, Marcelo fez um pedido com cariz de urgência. “Devemos dar à esperança mais uma oportunidade antes que seja demasiado tarde”, vincou.

A primeira Conferência dos Oceanos da ONU aconteceu há cinco anos em Nova Iorque. Nesta edição em Lisboa são esperados milhares de participantes, entre os quais 25 chefes de Estado e de governo e centenas de ministros.

Ler mais
PUB