Ministério Público abre inquérito à modelo Sara Sampaio por tweet contra Ventura

Tweet do deputado do PS Eduardo Barroco de Melo, que acusa Tiago Mayan Gonçalves de negócios familiares, foi igualmente alvo de inquérito. Em causa estão publicações feitas no dia de reflexão, antes das eleições presidenciais.



O Ministério Público abriu uma investigação a um tweet da modelo Sara Sampaio contra o líder do Chega, André Ventura, no dia de reflexão - dia anterior às eleições presidenciais em que não é permitido fazer propaganda política. Além disso, um tweet do deputado do PS Eduardo Barroco de Melo, que acusa Tiago Mayan Gonçalves de negócios familiares, foi igualmente alvo de inquérito.

De acordo com a Comissão Nacional de Eleições (CNE), existem indícios de “prática ilícita” tanto por parte da modelo como do socialista, que fizeram “propaganda depois de encerrada a campanha eleitoral”, segundo avança o jornal Inevitável.

No que diz respeito a Sara Sampaio, a modelo publicou uma fotografia do boletim de voto nas redes sociais em que tapava com uma caneta o nome de André Ventura. A CNE considerou que se trata de uma “clara intenção em influenciar sentido de voto”.

Quanto a Eduardo Barroco de Melo, o deputado disse que Tiago Mayan Gonçalves trabalhava na empresa da mãe.

Tanto Sara Sampaio como Eduardo Barroco de Melo arriscam o pagamento de uma multa entre 2,49 e 24,94 euros e uma pena de prisão até seis meses.

Ler mais
PUB