Médicos da Urgência Metropolitana de Psiquiatria do Porto demitem-se em bloco

Numa carta de demissão, os oito médicos psiquiatras afirmam que a UMPP “padece de limitações e problemas vários desde a sua génese que têm sido sistematicamente levantados pelos profissionais de saúde que lá trabalham e pelos seus representantes”.



Os médicos responsáveis pela Urgência Metropolitana de Psiquiatria do Porto (UMPP), concentrada desde Abril de 2006 no Hospital de São João, apresentaram a sua demissão. Numa carta datada de terça-feira, que a Lusa avança esta quarta-feira, os oito médicos psiquiatras afirmam que a UMPP “padece de limitações e problemas vários desde a sua génese que têm sido sistematicamente levantados pelos profissionais de saúde que lá trabalham e pelos seus representantes”.

A missiva, dirigida ao presidente do Conselho Directivo da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte), ao coordenador regional da Saúde Mental da ARS-Norte e aos directores dos Serviços de Psiquiatria, refere ainda que um dos problemas “basilares” daquela urgência é a “ausência de definição dos critérios de referenciação”.

Os médicos asseguram que este problema foi “já repetidamente reportado e discutido nas reuniões de coordenação que mereceu a elaboração de um documento pela coordenação da UMPP em 2018”.

“No início de 2020, em reunião com a ARS-Norte, foi comunicada a implementação dos critérios de referenciação, mas tal nunca chegou a suceder, contribuindo para o recurso à UMPP de uma enorme quantidade de casos sem indicação para observação em contexto de urgência e, assim, para um afluxo excessivo e inapropriado de utentes”, dizem.

Na carta, os profissionais de saúde dizem já ter denunciado “a gravidade destas situações às diferentes entidades”. No entanto, perante a “ausência de respostas e resolução dos problemas”, comunicaram a sua escusa de responsabilidade por riscos decorrentes da não resolução dos problemas que “colocam em risco a segurança clínica, qualidade do serviço prestado e dignidade de utentes e profissionais”.

Ler mais
PUB