Meco: Ex-dux João Gouveia absolvido de pagar indeminização

Processo foi colocado pelos pais dos estudantes que morreram em 2013. Gouveia foi o único sobrevivente da tragédia nesta praia de Sesimbra. Universidade Lusófona também foi absolvida.



O Tribunal de Setúbal absolveu, esta quinta-feira, o ex-dux da Universidade Lusófona de Lisboa João Gouveia de pagar uma indeminização aos pais das vítimas da tragédia na praia do Meco, em Sesimbra, em 2013. Também a instituição não terá que pagar nenhuma verba aos familiares dos seis jovens, que pediam um valor global de cerca de 1,3 milhões de euros.

“Declaram-se totalmente improcedentes os pedidos deduzidos nos autos pelos autores, absolvendo-se os réus. Declara-se improcedente o pedido de condenação dos Autores por litigância de má-fé”, lê-se no comunicado do Tribunal Judicial da comarca de Setúbal que revela a decisão da juíza responsável pelo processo.

À Lusa, as famílias dos estudantes, que responsabilizam João Gouveia e a COFAC - Cooperativa de Formação e Animação Cultural, CRL (Universidade Lusófona) pela morte dos jovens alunos a 15 de Dezembro de 2013, confessaram não ter sido surpreendidos pela decisão, mas prometem recorrer para o Supremo Tribunal de Justiça.

“Eu já estava à espera. Aliás, aqui a nível de Portugal outra coisa não podia esperar. Sempre foram protegidos [o ex-dux João Gouveia e a Universidade Lusófona]. Para mim, este julgamento deu para demonstrar, a quem quis ouvir, que há ali contradições e que nunca houve interesse em esclarecer”, confessou Fernanda Cristóvão, mãe de Ana Catarina Soares, rematando: “Agora penso que nos resta recorrer para o Supremo.”

Ler mais
PUB