Covid-19: Máscaras já não são obrigatórias nos transportes públicos

A situação de alerta mantém-se até 30 de Setembro em todo o território continental. É o nível mais baixo de resposta a catástrofes, por parte da Lei de Base da Proteção Civil



O uso de máscaras ou viseiras nos transportes públicos em Portugal vai deixar de ser obrigatório, anunciou esta quinta-feira o Governo após a reunião do Conselho de Ministros. Continuam a ser obrigatórias em estabelecimentos de cuidados de saúde, excepto nas farmácias de venda ao público. O anúncio foi feito por Marta Temido, em conferência de imprensa.

A Ministra da Saúde salientou que a evolução da pandemia mostra uma “tendência estável do número de casos [e] uma tendência controlada daquilo que é a utilização de cuidados de saúde”. A medida também inclui os táxis e os transportes de passageiros em TVDE.

Em declarações aos jornalistas, a Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou ainda que o Governo irá prolongar a situação de alerta para com a covid-19 até dia 30 de Setembro. A medida mantém-se em vigor no território continental.

A situação de alerta é o nível mais baixo de resposta a catástrofes da Lei de Base da Proteção Civil. Antes de ser prolongada, previa-se que terminasse às 23:59 do dia 31 de Agosto.

Ler mais