Governo vai decretar estado de calamidade na serra da Estrela

O estado de calamidade já tinha sido pedido numa reunião conjunta entre os municípios afectados, na passada quinta-feira. Os autarcas reclamam apoios imediatos para colmatar prejuízos de “centenas de milhões de euros”.



O Governo vai decretar o estado de calamidade na serra da Estrela, anunciou hoje a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva. O estado de calamidade será promulgado pelo Conselho de Ministros e “dará condições para que todos, Estado e autarquias, possam responder às necessidades” do território, garante a governante.

O anúncio foi feito esta segunda-feira, no final de uma reunião entre Governo e autarcas de sete municípios abrangidos pelo Parque Natural da Serra da Estrela (Manteigas, Celorico da Beira, Covilhã, Guarda, Gouveia, Seia e Belmonte), para “avaliar as necessidades e respostas integradas para estes concelhos” na sequência do incêndio que afectou a região.

“A intervenção, aqui, tem de ser integrada. Da Agricultura ao Ambiente, do Trabalho e da Solidariedade à Coesão Territorial. É fundamental que todas estas áreas participem nesta reconstrução”, declarou a ministra.

A primeira fase, que Vieira da Silva diz já estar no terreno, refere-se a apoios à alimentação animal, recuperação e retirada de madeira queimada que coloque perigo iminente e apoio social. Segue-se o levantamento, até ao início de Setembro, dos danos e prejuízos do incêndio. “A partir daí, o Governo aprovará este conjunto de medidas ao abrigo do estado de calamidade, para podermos responder o melhor e o mais urgentemente possível a estes territórios”, garantiu.

Na reunião estiveram presentes cinco presidentes de câmara: Flávio Massano (Manteigas), Vítor Pereira (Covilhã), Sérgio Costa (Guarda), Carlos Ascensão (Celorico da Beira) e António Dias Rocha (Belmonte). Seia e Gouveia estiveram representados pelos seus vice-presidentes, Célia Barbosa e Jorge Ferreira, respectivamente.

Pelo Governo marcaram presença a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, o ministro do Ambiente e da Acção Climática, Duarte Cordeiro, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e a ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes.

O estado de calamidade já tinha sido pedido numa reunião conjunta entre os municípios afectados, na passada quinta-feira. Os autarcas reclamaram também apoios imediatos para colmatar prejuízos que dizem ser de “centenas de milhões de euros”.

A serra da Estrela foi afectada por um incêndio que deflagrou no dia 6 de Agosto, em Garrocho, no concelho da Covilhã. Foi dado como dominado no dia 13, mas sofreu uma reactivação no dia 15, acabando por ser controlado em definitivo no dia 17, à noite.

As chamas estenderam-se ao distrito da Guarda, nos municípios de Manteigas, Gouveia, Guarda e Celorico da Beira, atingindo ainda o concelho de Belmonte, no distrito de Castelo Branco.

Ler mais