Empresa-mistério que teve créditos do BES Angola levantou 30 milhões num dia

O “levantamento em numerário” de 30 milhões de dólares ocorreu em Janeiro de 2012 numa conta da Vaningo. No final desse ano, a empresa recebeu empréstimos de 70 milhões. Ministério Público investiga se Vaningo é de Álvaro Sobrinho ou uma sociedade instrumental usada pelo GES



A Vaningo-Invest e Participações, com sede em Luanda, tinha quase 31 milhões de dólares numa conta do BES Angola (BESA) quando, a 27 de Janeiro de 2012, foi feito um “levantamento em numerário” de 30 milhões de dólares (o equivalente a 24,6 milhões de euros, à taxa de câmbio actual), reduzindo o saldo a menos de 1 milhão. O extracto bancário desta conta-corrente no BESA, ao qual o NOVO teve acesso, está entre as centenas de documentos que a procuradora Rita Madeira, do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), está a investigar no processo em que Álvaro Sobrinho é suspeito de burla, falsificação e branqueamento de capitais.

Entre despesas de manutenção e impostos sobre comissões, a conta ficaria com saldo negativo até ser recheada com dois novos movimentos: um de 70 milhões de dólares descrito como “empréstimos”, a 1 de Novembro de 2012, e uma “transferência interna” de 3,8 milhões de dólares feita no mesmo dia.

Até ao momento, como o NOVO revelou na edição de 21 de Maio, documentos guardados na Suíça já permitiram concluir que mais de 260 milhões de euros com origem em duas contas do BESA terão saído directamente para 15 sociedades off-shore que teriam como beneficiário efectivo Álvaro Sobrinho, que não respondeu às tentativas de contacto do NOVO.

Leia o artigo na íntegra na edição do NOVO nas bancas a 11 de Janeiro de 2021.

$!Empresa-mistério que teve créditos do BES Angola levantou 30 milhões num dia
Ler mais
PUB