Dois indianos de origem portuguesa detidos por suspeita de tráfico de compatriotas

Têm 33 e 56 anos, são indianos já com nacionalidade portuguesa, e são suspeitos de explorar com trabalho escravo dezenas de compatriotas seus nos campos agrícolas de Serpa, no Alentejo. Foram detidos na Grande Lisboa pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).



Os dois homens de origem indiana, segundo apurou o NOVO, e com 53 e 33 anos de idade, foram detidos pelos inspectores do SEF por indícios da prática do crime de tráfico de pessoas. A investigação criminal do SEF apurou que a dupla explorava trabalhadores agrícolas indianos em Serpa, no Alentejo, através de pressão psicológica, ameaças, agressões físicas e retenção de salários.

No âmbito de uma investigação criminal em curso, o SEF, além dos mandados judiciais de detenção, deu cumprimento a mandados de busca domiciliária.

Os factos que deram origem à investigação foram praticados em Serpa, distrito de Beja, onde “os arguidos tinham dezenas de trabalhadores de origem indostânica para a realização de tarefas agrícolas, mantendo-os sob exploração, aproveitando o facto de não terem a sua situação regularizada em Portugal. Os arguidos cobravam, também, elevados valores pelo alojamento, exigindo ainda o pagamento de alegadas prestações sociais e impostos que, na verdade, não liquidavam”, refere o comunicado.

A investigação do SEF permitiu, até ao momento, identificar e sinalizar quatro vítimas da exploração, tendo outros trabalhadores recusado prestar depoimento com receio de represálias.

Além dos detidos, foi constituída arguida a empresa de que são sócios gerentes, bem como uma mulher de nacionalidade portuguesa relacionada com a mesma.

Os detidos serão presentes esta quarta-feira no Tribunal Judicial da Comarca de Serpa para interrogatórios judiciais e aplicação de medidas de coacção.

Ler mais
PUB