Covid-19. Transmissibilidade e internamentos estão a aumentar, alerta DGS

Apesar da evolução destes índices, sobretudo no que diz respeito aos internamentos, a DGS esclarece que “mantém-se o reduzido impacto da Covid-19 nos serviços de saúde e na mortalidade, traduzido numa mortalidade geral de acordo com o esperado para a época do ano”.



TÓPICOS

O índice de transmissibilidade da Covid-19 e os internamentos fruto da contração do vírus são indicadores que estão a aumentar, de acordo a análise que consta no mais recente relatório da DGS e do INSA sobre a situação epidemiológica.

“No final do período em análise, observou-se um aumento da incidência. Apesar do R(t) apresentar valores inferiores a 1, considera-se que a transmissibilidade esteja a aumentar dada a subida do R(t) observada nos últimos dias. Recorde-se que o decréscimo do R(t) observado no início do mês foi resultado das alterações da resposta à COVID-19 implementadas no início de outubro e não traduziram uma real diminuição do risco de transmissão”, começa por explicar este relatório.

Da mesma forma, este relatório dá nota de um “aumento do número de internamentos nos grupos etários acima dos 60 anos, e nos cuidados intensivos entre os 40 e os 59 anos, ainda que abaixo do limiar crítico definido, são a favor de uma tendência crescente da incidência nas últimas semanas”.

Apesar da evolução destes índices, sobretudo no que diz respeito aos internamentos, a DGS esclarece que “mantém-se o reduzido impacto da Covid-19 nos serviços de saúde e na mortalidade, traduzido numa mortalidade geral de acordo com o esperado para a época do ano”.

A DGS termina o relatório indicando que a variante Omicron continua a sr dominante “apesar do aumento de circulação de sublinhagens com potencial impacto epidemiológico” e mantém as recomendações já conhecidas: “Vacinação de reforço, as medidas de proteção individual e a comunicação frequente destas medidas à população”.

Ler mais