Caso Ihor Homeniuk. Ex-director de fronteiras do SEF expulso da função pública

António Sérgio Henriques foi demitido depois de a proposta da Inspecção-Geral da Administração Interna ter sido homologada pelo Ministério da Administração Interna.



O ex-director de fronteiras de Lisboa do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), António Sérgio Henriques, foi demitido da função pública, depois de a proposta da Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) ter sido homologada pelo Ministério da Administração Interna, de acordo com informações avançadas pelo Público.

António Sérgio Henriques já havia sido demitido do cargo de director de fronteiras de Lisboa na sequência da morte do ucraniano Ihor Homeniuk nas instalações do SEF do aeroporto de Lisboa, em Março de 2020.

Esta decisão surge depois de, no relatório de ocorrência, estar referido que o ex-director omitiu de forma deliberada factos relevantes sobre o que havia acontecido e que isso permitiu o encobrimento do crime. António Sérgio Henriques esteve em funções desde Agosto de 2018 até 30 de Março de 2020.

O tribunal condenou, em Maio, recorde-se, a sete e nove anos de prisão os três inspectores do SEF Bruno Sousa, Duarte Laja e Luís Silva, pela morte do ucraniano.

Os inspectores Duarte Laja e Luís Silva foram condenados a nove anos de prisão, ao passo que Bruno Sousa a sete anos de prisão. Foram todos condenados por ofensa à integridade física grave qualificada, agravada pelo resultado de morte. Caiu, no entanto, a acusação de posse de arma ilegal (bastão extensível) que pendia sobre Duarte Laja e Luís Silva.

No Campus de Justiça, em Lisboa, o tribunal confirmou que os três inspectores agrediram o ucraniano de tal forma que lhe provocaram a morte, mas nada ficou demonstrado no que diz respeito à intenção de matar.

Ler mais
PUB