Câmara de Caminha paga 20 mil euros para parecer sobre decisão já tomada

Negócio para centro de exposições, que não existe, já custou ao erário público cerca de 400 mil euros: adiantamento de 369 mil e agora mais 20 mil para parecer após rescisão contratual, noticia esta sexta-feira o “Jornal Económico”.



TÓPICOS

A Câmara de Caminha pagou 19.950 euros à Sérvulo & Associados para um parecer sobre o polémico negócio do Centro de Exposições Transfronteiriço (CET). Em causa está a contratação para prestação do serviço jurídico após o anúncio da revogação do contrato por incumprimento contratual na construção do pavilhão multiusos.

Um negócio protagonizado por Miguel Alves, ex-secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, que celebrou enquanto antigo presidente em 2020. O parecer tinha sido justificado pelo atual edil, Rui Lages, para responder a dúvidas quanto à prossecução do negócio ou à rescisão do contrato.

Veja aqui a notícia completa publicada esta sexta-feira na edição impressa do “Jornal Económico”.

Ler mais