Cabazes das famílias mais pobres estão com menos comida devido a guerra em concursos públicos

Muitos dos agregados estão a receber cabazes com menos de 15 produtos, em vez dos 25 previstos. Falta leite, arroz, peixe congelado e azeite desde Setembro.



As famílias beneficiárias do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (POAPMC) estão a receber cada vez menos bens alimentares, numa situação que se agravou a partir de Setembro. Distribuídos por instituições de solidariedade social (IPSS) a cerca de 120 mil pessoas, os cabazes deveriam incluir 25 produtos, mas muitos não chegam a ter sequer 15: falta leite, arroz, peixe congelado, atum enlatado, azeite e bolacha Maria.

Ao Jornal de Notícias, o Ministério da Segurança Social explica que o problema se deve a “impugnações judiciais interpostas pelos concorrentes” nos concursos públicos de compra de produtos, a “demora na análise da emissão dos pareceres técnicos da ASAE [Autoridade de Segurança Alimentar e Económica] e [à] exigência da União Europeia na tramitação procedimental associada” a esses concursos de aquisição.

O Governo garante que “a situação está a ser gradualmente ultrapassada” e assegura que “alguns produtos serão distribuídos este mês” – mas as assistentes sociais no terreno denunciam o emagrecimento constante destes cabazes, o que impede os agregados de viverem com dignidade.

Ler mais
PUB