Bastonário defende acordos com clínicos do privado para garantir médico de família

Miguel Guimarães garante que actualmente há mais de um milhão de pessoas sem médico de família, sem que o problema, apesar das sucessivas promessas, esteja resolvido.



TÓPICOS

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, considera que enquanto não houver médicos de família em número suficiente, o Governo deve fazer acordos com clínicos do sector privado ou social para garantir o acesso aos cuidados primários de saúde. A opinião foi revelada esta sexta-feira, no seminário online “Saúde em Dia”, promovido pela Universidade Portucalense (UPT).

“Até termos os médicos suficientes dentro do Serviço Nacional de Saúde (SNS), na área dos cuidados de saúde primários, é possível fazer acordos com médicos que estejam fora [do SNS] para que nenhum utente esteja sem médico de família”, defendeu, indicando que actualmente há mais de um milhão de pessoas sem médico de família, sem que o problema, apesar das sucessivas promessas, esteja resolvido. Segundo os dados revelados, citados pelo bastonário, em Fevereiro de 2019 eram 688 mil os utentes sem médico de família; em Junho de 2021, 850 mil; em Julho de 2021, 1,1 milhões; e, neste momento, mais de 1,2 milhões.

“É uma situação complexa, uma situação que já devia estar resolvida há muito tempo. Uma situação que faz sempre parte daquilo que são as promessas eleitorais dos vários partidos políticos que se candidatam às eleições legislativas e, nomeadamente, os dois principais partidos políticos – o PS e o PSD –, mas é uma situação que continua sem ser resolvida”, disse.

Ler mais
PUB