António Joaquim vai voltar à prisão pela morte de Luís Grilo

Acórdão deverá ser entregue ainda esta sexta-feira no Tribunal de Loures, para que o mandado de detenção seja emitido.



Depois de mais de um ano e meio em liberdade, António Joaquim, condenado a 25 anos de prisão pelo homicídio do triatleta Luís Grilo, vai voltar à prisão. Segundo o Correio da Manhã, que teve acesso ao acórdão de 33 páginas em que os juízes do Tribunal Constitucional rejeitam o recurso interposto pela defesa do amante de Rosa Grilo, o acórdão deverá ser entregue ainda esta sexta-feira no Tribunal de Loures, para que o mandado de detenção seja emitido.

De acordo com o jornal, António Joaquim poderá receber a ordem para regressar à prisão a partir de segunda-feira. O seu advogado, Ricardo Serrano Vieira, garantiu ainda que o funcionário judicial planeia entregar-se antes mesmo da emissão do mandado.

A defesa de António Joaquim anunciou na terça-feira que iria apresentar recurso de revisão da sentença no Supremo Tribunal de Justiça, depois de surgirem “factos novos” que não constavam no processo.

“O recurso extraordinário de revisão tem de ser obrigatoriamente apresentado no Supremo Tribunal de Justiça e tem como fundamento, diz o código do processo penal, [a existência] de factos supervenientes, tem de haver factos novos que não foram possíveis levar ao julgamento, à data em que o mesmo decorreu”, disse, na altura, à Lusa Ricardo Serrano Vieira.

António Joaquim e Rosa Grilo, que mantinham uma relação extraconjugal, foram acusados e julgados pela co-autoria do homicídio de Luís Grilo, ocorrido em Julho de 2018, na casa do casal, nas Cachoeiras, concelho de Vila Franca de Xira, distrito de Lisboa.

Ler mais
PUB