Opinião

Uma história mal contada

Bruno Pires


A renúncia de Rafa à selecção nacional tem alimentado horas e páginas de noticiário desportivo. E tem sido um fartote porque ninguém percebe o que se passou. O jogador refugia-se em razões do foro pessoal, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) emitiu um singelo comunicado que esclarece coisa nenhuma. No meio disto tudo, a imprensa noticia que o Benfica, clube de Rafa, pretende oferecer a renovação ao campeão europeu, o que para muitos é visto como um prémio pela renúncia à selecção nacional. Há, sensivelmente, um ano foi noticiado que Rafa não estava suficientemente comprometido com a selecção. Na altura, o único que saltou em defesa de Rafa foi Fernando Santos. O mesmo Fernando Santos que, na conferência de imprensa de antevisão ao jogo deste sábado com a Rep. Checa, veio colocar um bidão de gasolina na fogueira ao revelar que Rafa lhe pediu dispensa deste estágio mas que mais tarde comunicou a Fernando Gomes a sua indisponibilidade para continuar a representar a selecção. O que faz toda a diferença. Partindo do princípio que não houve um mal-entendido e que a comunicação entre as partes foi a melhor, Fernando Santos coloca em causa o carácter de Rafa. E, precisamente, perante a pessoa que não merecia tal desconsideração. Aqui chegados, é altura de Rafa explicar, de viva voz e não através de terceiros ou de um comunicado com meia dúzia de linhas, as verdadeiras razões da sua renúncia. E já agora tem a responsabilidade ainda de esclarecer o que disse a Fernando Santos e mais tarde ao presidente da FPF porque esta é uma história cada vez mais mal contada e que não deixa ninguém bem na fotografia.