Opinião

Se viste “Anatomia de Grey”, o teu país precisa de ti

O problema fundamental do socialismo é a capacidade de, invariavelmente, tornar meios outrora abundantes em recursos escassos.

Rui Rocha


Durante muito tempo, acreditou-se que as políticas socialistas teriam tal potencial de transformação da realidade que, se fossem aplicadas durante um período adequado de tempo num deserto, acabariam por provocar uma grave escassez de areia. Ora, se sobre a falta de areia não temos ainda em Portugal informação suficiente, há já evidência que nos permite afirmar, sem receio de errar, que os governos de António Costa, em apenas sete anos, conseguiram provocar uma grande falta de médicos no Serviço Nacional de Saúde (SNS), de professores na escola pública e, mais recentemente, de polícias nas esquadras.

Na verdade, se o problema fundamental da teoria económica é o da escassez, isto é, da insuficiência de bens para satisfação de necessidades humanas tendencialmente ilimitadas, o problema fundamental do socialismo é a capacidade de, invariavelmente, tornar meios outrora abundantes em recursos escassos.

Todavia, focar uma avaliação das políticas dos governos socialistas apenas na transformação da abundância em escassez é contar apenas uma parte da história, isto porque há outra capacidade extraordinária que os executivos de António Costa apresentam que, com alguma injustiça, tem sido esquecida. É que os socialistas não se deixam intimidar pelas adversidades e lançam sempre mão da sua capacidade inventiva. Faltam médicos especialistas? O serviço passa a ser prestado por médicos sem especialidade. Faltam professores? As aulas passam a ser asseguradas por docentes sem formação pedagógica. No dia em que faltarem juízes será sempre possível substituir magistrados de carreira por licenciados em Direito. E se, por acaso, houver dificuldade em recrutar enfermeiros, poderemos recorrer a costureiras e costureiros que, como se sabe, têm experiência com agulhas.

A enorme vantagem desta abordagem criativa é que é praticamente ilimitada. Se a falta de médicos se agravar, tu que viste meia dúzia de episódios da “Anatomia de Grey” ou do “Dr. House” poderás dar consulta. Da mesma maneira, e face à falta de agentes, serás eventualmente chamado a fazer uma perninha numa esquadra se brincaste aos polícias e ladrões em criança. Dando-lhes tempo, os socialistas conseguirão esgotar a areia dos desertos, mais cedo ou mais tarde. Em contrapartida, não há nada que consiga esgotar a capacidade criativa dos socialistas.

Deputado da Iniciativa Liberal

PUB