Opinião

Rumo ao Catar!

Gonçalo Almeida


Com uma paupérrima exibição frente à Sérvia, numa partida em que um empate já lhe bastaria, Portugal não só desperdiçou uma vantagem de um golo madrugador, como acabou derrotado, deixando escapar a qualificação directa para o Mundial 2022. Apesar de culturalmente habituados ao “até à última”, já não nos confrontávamos com esta realidade desde 2014, aquando da qualificação para o Mundial do Brasil, tendo desde então alcançado qualificações directas para o Euro 2016, Mundial 2018 e Euro 2020.Resta-nos, agora, erguer a cara e prepararmo-nos para um playoff nada facilitado. É que, desta feita e de acordo com os “Regulatory articles for the 2020-22 European qualifiers play-offs” da UEFA, apuram-se para esta fase de qualificação os dez segundos classificados de cada grupo de apuramento, juntando-se, ainda, os dois melhores classificados dos grupos da Liga das Nações na edição de 2020/21, desde que não se tenham qualificado directamente para a fase final do Mundial.

A fase eliminatória, que terá lugar entre os dias 24 e 29 de Março de 2022, contará então com a participação de 12 equipas, dividas por três grupos, e apenas os vencedores dos respectivos grupos marcarão presença na fase final do Mundial do Catar, restando a Portugal vencer uma meia-final e uma final, ambas jogadas apenas a uma mão.

Quanto a adversários, realizar-se-á no próximo dia 26 de Novembro, na Suíça, o sorteio que irá definir a nossa sorte. Portugal integrará o Pote 1, o qual é composto pelos seis melhores segundos classificados de cada grupo de qualificação, pelo que disputará a semifinal em casa, o que poderá já não acontecer quanto à final, uma vez que tal estará dependente do sorteio previsto para o efeito. Já no Pote 2 estarão presentes os restantes quatro segundos lugares, assim como os dois lugares reservados para as selecções apuradas via Liga das Nações. Ora, conhecidos na passada terça-feira os últimos resultados desportivos, a selecção portuguesa poderá então defrontar a Áustria, Escócia, Itália, Macedónia do Norte, País de Gales, Polónia, República Checa, Rússia, Suécia, Turquia ou Ucrânia.

A selecção nacional realizará assim o seu quarto playoff de qualificação para uma fase final de uma competição internacional, sendo que os resultados dos playoffs para o Mundial 2010, o Euro 2012 e o Euro 2014, nos quais levámos de vencida a Bósnia-Herzegovina, em duas ocasiões, e a Suécia, esta última com uma inolvidável prestação de Cristiano Ronaldo, nos deixam esperançosos, apesar de, simultaneamente e de forma legítima, algo receosos.

Contudo, ainda que frustrados com este cenário, não esqueçamos que, entre outras excelentes equipas, também a Itália, actual campeã europeia, terá de ultrapassar esta fase de qualificação. Acima de tudo, não podemos jamais esquecer as enormes alegrias que a nossa selecção nos tem recentemente proporcionado e que tanto nos orgulham enquanto portugueses. É um grupo de trabalho de valor inquestionável e com enorme brio profissional que nos assegura uma luta incansável até ao fim. Convicto de que marcaremos presença no Mundial do Catar, estou igualmente certo de que cá estaremos para apoiar a equipa de todos nós.

PUB