Opinião

Quando procurar um urologista?

Frederico Carmo Reis


Na prevenção de doenças, as pessoas devem procurar um urologista mesmo sem apresentarem qualquer tipo de queixa. Um dos exemplos mais paradigmáticos é o cancro da próstata, uma doença que na sua fase inicial tem uma evolução silenciosa, mas que representa cerca de um quinto de todos os tumores diagnosticados no homem. A prevenção é o melhor remédio

Há sempre uma altura em que qualquer pessoa sente a necessidade de procurar um urologista, motivo pelo qual se torna importante conhecer as áreas de actuação desta especialidade e saber quando deve consultar este especialista.

Antes de mais detalhes, importa esclarecer que a urologia é uma especialização da medicina envolvida no estudo, diagnóstico e tratamento das doenças do trato genito-urinário do homem e do trato urinário da mulher. É uma área muito vasta que tem vindo a ganhar relevância por tratar diversas doenças muito frequentes nos dias de hoje. O urologista é o médico especializado no tratamento de doenças do trato urinário, do sistema reprodutor masculino e de diversas alterações que surgem nos genitais femininos. Importa, por isso, desmistificar o preconceito de que o urologista trata apenas homens. Na verdade, a especialidade trata todas as pessoas, abordando o trato urinário e os órgãos reprodutores.

Torna-se, portanto, fundamental que as pessoas percebam quando se deve recorrer à avaliação por um urologista, porque o mais comum é a procura ser feita quando há queixas. No entanto, cada vez mais é importante sensibilizar para a necessidade de prevenir ou detectar precocemente as doenças.

Assim sendo, deve ser avaliada pela urologia qualquer pessoa que apresente problemas ao urinar, como presença de sangue, dor, dificuldade em controlar a urina, como perdas involuntárias, infecções urinárias; disfunções sexuais, entre outras queixas. Na prevenção de doenças, as pessoas devem procurar um urologista, mesmo sem apresentarem qualquer tipo de queixa. Um dos exemplos mais paradigmáticos é o cancro da próstata, uma doença que na sua fase inicial tem uma evolução silenciosa, mas que representa cerca de um quinto de todos os tumores diagnosticados no homem. Uma das dúvidas mais frequentes relaciona-se com a idade a partir da qual se deve ser avaliado por um urologista, um tema frequentemente debatido na comunidade científica. As recomendações actuais preconizam que a avaliação prostática deverá ter início aos 40 anos quando o risco é muito elevado, ou seja, nas pessoas com mais do que um familiar directo (pai, irmão, filho) com tumor da próstata diagnosticado antes dos 65 anos; aos 45 anos, quando o risco é elevado, ou seja, nas pessoas de ascendência africana ou com um familiar directo com tumor da próstata diagnosticado antes dos 65 anos; e aos 50 anos de idade para todas as outras.

Após um diagnóstico, e para cada problema urológico, o urologista tem ao seu dispor múltiplas formas de actuação. Poderá incluir tratamento médico, seja de infecções da bexiga ou do rim, de sintomas de próstata, disfunções sexuais ou outros; procedimentos cirúrgicos, recorrendo a múltiplas técnicas, desde cirurgia convencional, cirurgia endoscópica, laparoscópica e robótica e, ainda, aconselhamento comportamental ou alimentar.

As consultas e exames de rotina, independentemente da idade, são fundamentais para detectar as doenças em fase precoce e assim existir uma maior probabilidade de cura. Deve fazer parte da rotina realizar pelo menos uma vez por ano, em especial a partir dos 40 anos, uma avaliação médica de forma a acompanhar e prevenir as principais doenças, como cancro da próstata, problemas nos rins e na bexiga, alterações hormonais e cálculos renais, além do crescimento benigno da próstata, que atinge a grande maioria dos homens. Consulte o seu médico – mais vale prevenir do que remediar.

PUB