Opinião

Ponto de fuga

Rui Rocha


Quinta-feira, 2

No debate de Braga, o candidato do PS à Câmara, com ar maroto, sugere que a sua proximidade do Governo sacará mais umas massas para o concelho se for eleito. No debate de Lisboa, a candidata do Bloco propõe, com ar cândido, o fim das ligações por avião à Europa. Já só peço que avisem com antecedência, que um tipo, face ao estado das coisas, pode querer pirar-se daqui para fora e, por mar ou por estrada, dá muita canseira.

Sexta-feira, 3

Entrada em vigor de nova tabela de comparticipações da ADSE gera turbulência e alguns prestadores privados ameaçam retirar serviços da convenção. Felizmente, se a coisa der para o torto, os beneficiários podem sempre recorrer aos cuidados do SNS que, como é sabido, tem funcionado lindamente.

Sábado, 4

António Costa apela ao regresso dos jovens que emigraram. Se a voracidade fiscal, o desemprego jovem, a estagnação económica ou a demonização do mérito e do sucesso não for suficiente para os convencer a regressar rapidamente, pode-se sempre explicar-lhes que, se não vierem depressa, correm o risco de não encontrar o primeiro-ministro, que já só pensa em pôr-se a andar para Bruxelas.

Domingo, 5

Bastonário da Ordem dos Homossexuais Lusitanos, presidente do Sindicato Gay de Portugal e secretária-geral da Associação Portuguesa de Homossexuais recusam passar certificado de bom comportamento homossexual a Paulo Rangel. Todavia, como são pessoas sensatas, não propõem, para já, que faça terapia de reorientação de cidadania. Depois, logo se vê.

Segunda-feira, 6

José Magalhães usa o Twitter para fazer publicação vergonhosa visando Paulo Rangel. Há tempos, José Magalhães respondeu a um jornalista que “enfiaria um processo judicial” a quem lhe chamasse patife. José Magalhães teve um comportamento próprio de um patife. Veremos agora se, para além de velhaco, bufo e controleiro, também é mentiroso.

Terça-feira, 7

Confirma-se que, para além de Costa e Marcelo, também o ministro da Administração Interna fez uma visita ao restaurante onde trabalhava o cidadão iraquiano suspeito de actividade terrorista. Não sei que treino dão à malta do terrorismo, mas este operacional é rijo. Daqui por uns anos, vai poder contar aos netos que esteve ali umas horas ao pé do Cabrita e não sofreu nenhum acidente.

Quarta-feira, 8

União Europeia avisa que, numa primeira análise, o Governo provisório anunciado pelos talibãs parece não cumprir os critérios de inclusão e representatividade que tinham sido prometidos. Mas pronto, isto também foi uma reacção a quente. Quem sabe se, após um segundo olhar, não será possível chegar a conclusões mais animadoras.

PUB