Opinião

As férias estão a acabar... estará na hora de mudar?

Ana Viçoso


É muito comum que as pessoas aproveitam o período de férias para refletir sobre a sua carreira profissional e desenvolvimento pessoal entrando numa espécie de introspeção sobre o que conseguiram alcançar até aqui e como perspetivam o futuro. Naturalmente, começarão a surgir algumas questões relacionadas com o momento da mudança: está ou não na hora de procurar um novo desafio profissional e, consequentemente, as dúvidas relacionadas com a mudança: “será que não me vou arrepender?”, “devo continuar nesta área ou mudar?”, “será que vou conseguir definir e implementar um plano de carreira desafiante e alinhado com os meus objetivos pessoais e profissionais?”.

Questionar promove a reflexão e isso faz parte do processo de mudança. Não tem mal algum que isso aconteça, pelo contrário, devemos periodicamente olhar para o nosso percurso profissional e questionar se está alinhado com os nossos objetivos, propósito e visão de carreira. No entanto, permanecer onde estamos é igualmente válido!

Caso seja essa a decisão e para que o regresso ao trabalho após as férias seja encarado de forma positiva, há certos comportamentos que podemos adotar e que certamente ajudam a retomar a rotina que tínhamos antes. A começar por 1) tirar, pelo menos, um dia entre o regresso das férias e o regresso ao trabalho, assim o recomeço será mais suave; 2) no primeiro dia de trabalho após as férias defina as suas prioridades e evite o agendamento de reuniões e chamadas que naquele momento não serão prioritárias; 3) por falar em prioridades, não queira fazer tudo logo no primeiro dia, pois poderá não conseguir e isso irá deixá-lo frustrado e, por isso, não se deve deixar levar pela ansiedade de querer resolver tudo de uma vez só; 4) aproveite este regresso para reorganizar o seu espaço de trabalho e dê um toque mais pessoal como forma de o motivar nos momentos mais desafiantes; 5) aproveite os tempos livres para se exercitar, caminhar durante a hora de almoço, ir ao ginásio ou refletir sobre algum projeto interessante em que esteja envolvido, por exemplo.

Cada recomeço traz novas oportunidades para fazer mais, melhor ou, simplesmente, de forma diferente. Lembre-se que vai regressar com uma nova energia, encontrar gosto naquilo que faz e sentir que realmente faz parte de um projeto, de uma equipa, de uma organização. Não esmoreça, pelo contrário, tente sempre fazer cada vez melhor, aproveitar para aprender e evoluir, pois em muitos momentos tudo irá depender de si e da forma como responde aos desafios que vão aparecendo, até porque a nossa carreira acaba por ser um caminho em que temos poder de decisão, umas vezes mais fácil que outras é verdade, mas está nas nossas mãos conseguir (ou pelo menos tentar) algo melhor e mantermo-nos firmes na nossa decisão de sermos felizes.

Já dizia o ensaísta e filósofo Eduardo Lourenço: “mais importante que o destino é a viagem”.

PUB