Irão avisa EUA: “Sanções e sabotagem” prejudicam negociações
Ministro dos Negócios Estrangeiros avisa que estas acções só vão complicar ainda mais a situação.
O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão avisou esta terça-feira os Estados Unidos que não existem “vantagens” no quadro das negociações sobre a energia nuclear utilizando “actos de sabotagem” ou sanções.
“Os norte-americanos devem saber que nem as sanções nem os actos de sabotagem são instrumentos de negociação. Essas acções só vão complicar ainda mais a situação para eles”, disse Mohamad Javad Zarif numa conferência de imprensa em Teerão.
As declarações do diplomata iraniano ocorrem 48 horas após o acidente no centro nuclear iraniano que Teerão diz ter sido provocado por sabotagem.
Os Estados Unidos garantiram segunda-feira que não estiveram envolvidos no que o Irão chamou de acção de sabotagem da fábrica de enriquecimento de urânio, em Natanz.
Teerão acusou Israel de “ataque terrorista” ao sabotar o centro nuclear de Natanz e prometeu vingança e intensificação das actividades de enriquecimento de urânio, enquanto esforços diplomáticos estão em curso para permitir o regresso dos EUA ao acordo nuclear internacional, assinado em 2015 e abandonado unilateralmente pelo Governo do ex-Presidente norte-americano Donald Trump, em 2018.
Por outro lado, o Irão também condenou “fortemente” as novas sanções impostas pela União Europeia e anunciou a suspensão de “todo o diálogo sobre os direitos humanos” com os 27, bem como a “cooperação daí resultante”.
A medida surge como retaliação ao anúncio de novas sanções impostas por Bruxelas contra oito responsáveis iranianos acusados pela UE de envolvimento na violenta repressão das manifestações realizadas em Novembro de 2019.