Boa ou má moeda: as escolhas do NOVO



TÓPICOS

As boas

Luís Montenegro

Os três dias que passou no Pavilhão Rosa Mota dificilmente lhe sairiam melhor caso os tivesse feito por encomenda. Animado pelo abalo no Governo, o líder do PSD geriu bem a despedida de Rui Rio, demonstrou serenidade na hora de iniciar o novo ciclo e ancorou à sua liderança Carlos Moedas, Miguel Pinto Luz e Paulo Rangel.

André Ventura

Autor de uma moção de censura condenada pela maioria absoluta do PS, o fundador do Chega cumpriu o objectivo de manter a pressão sobre toda a oposição. Agendada depois da subida de Montenegro à liderança do PSD, a iniciativa mostra que Ventura não desiste de replicar aquilo que fez a Rui Rio.

As más

António Costa

O respaldo que recebe do Parlamento e a sua perícia a gerir expectativas dos eleitores e a actuação dos restantes partidos não anulam que a manutenção de Pedro Nuno Santos no Governo enfraqueça o primeiro-ministro, que tinha razões mais do que suficientes para o ter demitido na semana passada.

Boris Johnson

Esgotado o período de graça de que tirou benefício ao responder “à Churchill” aquando da invasão da Ucrânia pelo exército russo, o primeiro-ministro do Reino Unido deu o passo em frente, para o qual foi vigorosamente empurrado por muitos conservadores que, obviamente, o levaram a demitir-se.

Ler mais