Boa ou má moeda: as escolhas do NOVO



TÓPICOS

As boas

Dmitri Muratov

Enquanto se confunde todo o povo russo com Vladimir Putin e seus (inquestionavelmente, muitos) apoiantes, há que louvar o jornalista por ter leiloado a sua medalha de Nobel da Paz em prol dos refugiados ucranianos. O gesto do ex-director da Novaya Gazeta valeu 98,3 milhões de euros para uma causa nobre.

André Villas-Boas

Mais de uma década após ter ocupado a “cadeira de sonho” de treinador do FC Porto, lançou-se na corrida à sucessão do “eterno” Pinto da Costa na presidência do clube. Com a nuance muito significativa de não pedir licença ao líder histórico dos dragões e de admitir enfrentá-lo nas urnas.

As más

Élisabeth Borne

A demissão da segunda primeira-ministra da democracia francesa foi negada por Macron, o que não impede que simbolize a perda da maioria absoluta que apoiava o Presidente, na sequência das legislativas de domingo. Até porque dificilmente conseguirá encontrar parceiros estáveis entre a direita tradicional.

António Costa

O incessante apoio que lhe merece a ministra da Saúde torna difícil que a responsabilidade pelo que corre mal no Serviço Nacional de Saúde não recaia sobre os seus ombros. Não só a situação conjuntural, mas nem por isso mais aceitável, de encerramento de urgências como falhas estruturais ao longo de seis anos.

Ler mais