Boa ou má moeda: as escolhas do NOVO



TÓPICOS

As boas

Giorgia Meloni

Os 26% de votos no Irmãos de Itália fazem da ex-jornalista de 45 anos a primeira mulher à frente de um governo no país. Meloni viu premiada a decisão de se posicionar como a oposição a Draghi, mas terá agora de gerir com pinças a relação com Bruxelas - e ainda mais com os parceiros Salvini e Berlusconi.

Filipe Araújo

É provável que tudo o que levou Rui Moreira a conquistar e manter a Câmara do Porto seja pessoal e intransmissível. Mas a candidatura do seu vice-presidente à associação cívica “Porto, o Nosso Movimento” é um sinal claro de que o PSD e o PS não devem esperar vitória por falta de comparência em 2025.

As más

Fernando Santos

O golo do espanhol Morata que afastou Portugal da final four da Liga das Nações foi o culminar de uma noite de equívocos em Braga. Posto em causa pelas suas convocatórias, o seleccionador tardou a reagir ao ascendente do adversário e decidiu mal as substituições num jogo que também correu mal a Ronaldo.

Ali Khamenei

Problemas de saúde alimentam especulações sobre o ancião que desde 1989 se eterniza como aiatola do Irão. Mas enquanto for líder supremo da Revolução Islâmica é responsável pelo regime castrador de liberdades que está a ser enfrentado com extrema coragem nas ruas. Pelas mulheres iranianas, e não só.

Ler mais