UE e EUA cooperam para assegurar gás à Europa em caso de invasão russa da Ucrânia

Presidente da Comissão Europeia e Presidente dos Estados Unidos comprometeram-se a intensificar a cooperação energética estratégica para a segurança do aprovisionamento.



A União Europeia e os Estados Unidos estão a trabalhar para assegurar o fornecimento de gás à Europa em caso de nova invasão russa na Ucrânia.

“Os Estados Unidos e a UE estão a trabalhar em conjunto para um fornecimento contínuo, suficiente e atempado de gás natural à União a partir de diversas fontes em todo o mundo para evitar choques de fornecimento, incluindo os que poderiam resultar de uma nova invasão russa da Ucrânia”, pode ler-se numa declaração conjunta da presidente da Comissão Europeia e do Presidente dos Estados Unidos.

“Os Estados Unidos são já o maior fornecedor de gás natural liquefeito [GNL] à UE”, assinalam Ursula von der Leyen e Joe Biden. “Estamos a colaborar com governos e operadores de mercado no fornecimento de volumes adicionais de gás natural à Europa a partir de diversas fontes em todo o globo. O GNL, a curto prazo, pode aumentar a segurança do aprovisionamento, enquanto continuamos a permitir a transição para emissões líquidas zero”, acrescentam.

Os dois responsáveis políticos dizem ainda estarem “empenhados em trabalhar em estreita colaboração para superar os actuais desafios da segurança do aprovisionamento e dos preços elevados nos mercados energéticos”.

“Comprometemo-nos a intensificar a nossa cooperação energética estratégica para a segurança do aprovisionamento e trabalharemos em conjunto para disponibilizar aos cidadãos e empresas da UE e seus vizinhos fornecimentos de energia fiáveis e a preços acessíveis”, asseguram.

A tensão entre a Ucrânia e a Rússia, aliada à crise energética, pode ter repercussões no abastecimento de gás na Europa, uma vez que Moscovo é um dos principais fornecedores europeus.

Ler mais
PUB