UE com menos 2,5 milhões de desempregados em apenas um ano

Eurostat calcula que em Fevereiro a taxa de desemprego europeia foi de 6,2%, o que significa recuperação económica muito robusta



Em apenas um ano, o número de desempregados na União Europeia reduziu-se em 2,5 milhões de pessoas, indicando que a recuperação económica foi muito robusta após terminar a pandemia. Nos países da zona euro, a quebra no número de desempregados ultrapassou 2,1 milhões. Apesar de tudo, há ainda 13 milhões de europeus desempregados.

Os números divulgados pelo organismo estatístico europeu, Eurostat, mostram forte redução do desemprego em Fevereiro de 2022, em comparação com o mesmo mês do ano passado. A taxa na UE foi de 6,2%, contra 7,5% um ano antes. Na zona euro, o valor era de 6,8% (8,2% em Fevereiro do ano anterior). Estes dados não incluem ainda os eventuais efeitos da Guerra da Ucrânia nos países da UE, que só devem aparecer quando forem publicados os valores de Março.

Portugal é um dos países com evolução muito favorável. Em Fevereiro de 2021, a taxa de desemprego nacional era ainda 6,8%, mas em doze meses baixou um ponto percentual (menos 46 mil desempregados). Apesar de tudo, houve quase estagnação desde Dezembro, o que significa que os ganhos foram no ano passado.

Há vários países europeus onde as coisas foram diferentes. Por exemplo, a Espanha, que tem ainda desemprego elevado, de 12,6%, embora bem inferior ao de Fevereiro de 2021: 15,7%. A redução foi mais espectacular até Dezembro, mas continuou nos meses seguintes. Nos dois primeiros meses deste ano, a economia espanhola tirou 120 mil pessoas do desemprego; em Portugal, no mesmo período, foram apenas 5 mil.

Há outros países com excelentes comportamentos, por exemplo, a Grécia, que apesar das melhorias ainda tem quase 600 mil desempregados, ou a Itália, cujo desemprego baixou dois pontos percentuais em apenas doze meses. Considerando toda a Europa, há ainda um par de países com desemprego em dois dígitos (Grécia e Espanha).

A outra parte dos valores divulgados pelo Eurostat diz respeito à Europa em pleno emprego ou com desemprego reduzido, abaixo de 5%. Além da Holanda, Áustria, Eslovénia e Alemanha, há Estados que não pertencem à zona euro, entre eles Polónia, Hungria, Chéquia, Bulgária e Dinamarca. Portugal está agora apenas a oito décimas de se poder juntar a este grupo.

Ler mais
PUB