“Se Putin pensar em fazer algo a um país da NATO, toda a aliança vai reagir”, avisa Stoltenberg

O secretário-geral da Nato diz ser de “interesse mundial” que a Rússia não vença a guerra na Ucrânia, e que a “política agressiva” não tenha sucesso.



Num discurso no acampamento de Verão da Liga da Juventude dos Trabalhadores, na ilha de Utoya, na Noruega, Jens Stoltenberg deixou claro que, se as forças russas atacarem algum país da Aliança Atlântica, a NATO reagirá.

“Se Putin pensar em fazer algo a um país da NATO, toda a aliança vai reagir”, advertiu, segundo a Reuters.

Nos últimos dias, a Ucrânia acusou a Rússia de estar a preparar uma força de ataque com foco na cidade natal do presidente ucraniano, Volodimir Zelenski. Face a estas ameaças a NATO alargou a sua defesa.

Stoltenberg, recordou que o conflito na Ucrânia é a “situação mais perigosa” que a Europa vive desde a Segunda Guerra Mundial, e que “é do nosso interesse que a política agressiva” da Rússia não tenha sucesso.

É importante recordar que um ataque a um país da Aliança Atlântica é considerado um ataque a todo o colectivo de 20 países-membros, o que pode desencadear uma mobilização colectiva contra o agressor.

Ler mais
PUB